Comédia ‘Não tô Entendendo Nada’ passa a limpo a história do Brasil em temporada popular no Sesc Tijuca

Do Rio Encena

Fruto de uma pesquisa de teatro físico, a peça é repleta de performances Foto: Kaio Caiazzo/Divulgação

Da chegada de Pedro Álvares Cabral a estas terras até o Brasil como o conhecemos hoje. Estes são os pontos de partida e chegada da viagem no tempo que a comédia física “Não tô Entendendo Nada” promete fazer na temporada que se inicia nesta semana no Sesc Tijuca. Com direção de Fernando Melvin, o espetáculo entra em cartaz nessa sexta-feira (06), às 19h, seguindo até 29 deste mês, com apresentações também sábados e domingos no mesmo horário. O ingresso fica entre R$ 7,50 e R$ 30.

Fruto de uma pesquisa de teatro físico, com muitas performances e movimentos corporais, a peça utiliza simplicidade e bom humor para percorrer os períodos Colonial, Imperial e Republicano antes de chegar ao Brasil atual e suas mazelas. Já na esfera cultural, linguagens e sotaques das diferentes regiões do país são misturados no palco.

No entanto, embora se trate de uma comédia, a proposta é das mais sérias: despertar o interesse pelo conhecimento por parte do público.

– Em um país onde poucos têm conhecimento e interesse pela sua história, queremos promover o entusiasmo pelo estudo e o incentivo ao uso da imaginação – explica Fernando Melvin, que optou por retratar os acontecimentos usando apenas os corpos dos atores, sem nenhum cenário.

Por falar nos atores, Hamilton Dias, Laura Prado, Lorena Comparato, Luana Lemes e Marcelo Cavalcanti interpretam no palco cerca de 70 personagens – uma média de 15, cada um – e também assinam o texto, construído num processo de crianção coletiva. Ainda sobre o elenco, “Não tô Entendendo Nada”, que está entrando em sua primeira temporada, fez uma única apresentação na Fita (Festa Internacional de Teatro de Angra) 2016, quando foi indicado nas categorias “Melhor Texto”, “Elenco Revelação” e “Melhor Espetáculo”.

PUBLICIDADE