Com texto e direção de Marcelo Serrado, comédia estreia no Imperator

Do Rio Encena

Na comédia, os atores se revezam nos papéis masculinos e femininos Foto: Divulgação

Na comédia, os atores se revezam nos papéis masculinos e femininos Foto: Divulgação

Conhecido do grande público pelo seu trabalho como ator, Marcelo Serrado estreia nessa sexta-feira (19/08), às 20h, no Imperator, “Eles só Queriam se Apaixonar”, espetáculo no qual exerce duas funções que muita gente desconhece. Na comédia, que retrata a visão masculina dos relacionamentos e do universo feminino, ele, que está no ar com a novela “Velho Chico” da TV Globo, assina como autor e também diretor, cargo esse que divide com Danilo Watanabe. A peça, que fica em cartaz apenas até o dia 28, tem sessões ainda aos sábados (20h) e domingos (19h), com ingressos a partir de R$ 20 (meia).

– Acho que agora sou um autor. Desta vez quero falar com o público jovem, através do humor. O processo do texto foi muito rápido. Tenho duas principais referências gringas e a principal é o grupo do inglês Monty Python. O espetáculo é uma grande brincadeira, o verbo brincar é colocado em sua última potência. Nos divertimos muito – explica Serrado, que estreou como autor em 2013 com a comédia “Tudo é Tudo e Nada é Nada”.

“Eles só Queriam se Apaixonar” – que é uma adaptação de “A História dos Amantes”, texto do próprio Marcelo, que usa o humor para falar sobre medos e inseguranças do homem contemporâneo – apresenta três amigos de infância que vão tocar com sua banda num bar, onde relembram histórias e dividem experiências pessoais. Para reforçar a ideia do olhar masculino sobre relacionamentos amorosos e o universo feminino, são os próprios atores Eduardo Melo, Lucas Cotrim e Rafael Canedo que interpretam os personagens femininos da montagem.

As histórias dos três amigos são contadas e costuradas por nove músicas tocadas e cantadas pelo elenco. No setlist, estão músicas como “Evidências”, “A formula do amor”, “O nosso amor a gente inventa” e “Love me do”. Ou seja,  de Chitãozinho & Xororó a Beatles.

– As músicas funcionam como um complemento cênico, uma síntese que pontua bem as intenções e nuances do texto – destaca Juliana Veronezi, diretora musical do espetáculo.

Além do repertório, a comédia conta também com duas participações especiais em formato de locução em off: Françoise Forton, que faz a mãe de um dos amigos, e José Wilker (1944-2014), que gravou em 2013 o prólogo contextualizando a história.

PUBLICIDADE