Cia. Atores de Laura comemora 25 anos de trajetória com ocupação na Casa de Cultura Laura Alvim

Do Rio Encena

Sentido horário: “O Filho Eterno”; “Adultério”; “O Enxoval”; e “As Artimanhas de Scapino” Fotos: Divulcação

Em 2017, a Companhia Atores de Laura está celebrando bodas de prata! E para não deixar a marca passar em branco, a trupe carioca, fundada por Daniel Herz e Susanna Kruger, inicia nesta semana a Mostra – Atores de Laura 25 anos, que vai levar seis espetáculos – de um total de 23 do repertório deles –  à Casa de Cultura Laura Alvim, em Ipanema. Com entradas a partir de R$ 25 (meia) para cada apresentação, o evento começa na sexta (29), às 19h30, com “O Enxoval”.

Até 22 de outubro, além desta peça, serão encenadas também “O Pena Carioca”, “Absurdo”, “O Filho Eterno”, “Adultério” e “As Artimanhas de Scapino”, que formam uma programação diversificada. Por exemplo, clássicos, releituras de autores como Martins Pena e Moliére e um solo adaptado de um livro.

– São 25 anos de construção de valores, de perseverança, revolução na forma de fazer arte e persistência. O sentimento de completar 25 anos de ia. é revolucionário, de resistência e maleabilidade. Um trabalho árduo de pesquisa, aprendendo a lidar com todas as complicações de quem se atreve a viver de teatro no Brasil – vibra Daniel Herz.

Tal comemoração, aliás, não poderia ser realizada em outro local que não a Casa de Cultura Laura Alvim. Afinal, foi lá onde a trupe começou. Hoje formada pelos atores Ana Paula Secco, Charles Fricks, Leandro Castilho, Luiz André Alvim, Marcio Fonseca, Paulo Hamilton e Verônica Reis, além do diretor Herz, a cia. tem em seu nome uma homenagem à mulher que, apaixonada por teatro, doou ao governo estadual a sua própria casa, construída em 1913, para ser transformada num centro cultural.

Desde a fundação, a Atores de Laura reúne números impressionantes. Segundo a produção, nestes 25 anos, o grupo percorreu cerca de 70 cidades; foi assistido por mais de 800 mil pessoas; esteve em cena por 70.517 horas, além de mais 7.880 horas de ensaios; e recebeu 24 prêmios, como o Shell e o Aptr para “O Filho Eterno”, de 2011.

PUBLICIDADE