Carnaval e Teatro: a arte de assumir outros papéis

Péricles Vanzella

Péricles Vanzella

32 anos, é doutor em Artes Cênicas pela Unirio, ator, sapateador e cantor.

Entre as inúmeras festas que acontecem anualmente no Rio de Janeiro, o carnaval é, sem dúvida, a mais celebrada. As razões para esta celebração são várias, uma delas é a associação inédita que a cidade produziu entre carnaval e samba. A associação se espalhou pelo Brasil e pelo mundo como um símbolo da cidade. Mas, como sabemos, o carnaval precede muito o desenvolvimento do samba enquanto gênero musical.

Uma de suas características é a noção de suspensão das regras de conduta e convívio de uma sociedade. Falamos disso no ano passado: as pessoas assumem papéis completamente diferentes dos que costumam desempenhar, vestindo-se do sexo oposto, de animais, objetos, heróis, enfim. Bom, nada muito diferente do teatro, não é? Em alguns locais, aliás, carnaval e teatro são historicamente associados ao uso de máscaras, utilizadas com a mesma finalidade: a ocultação da identidade do ator, que personifica então uma figura alegórica – ou seja, que representa ideias, pensamentos, papeis. Até hoje, no Brasil, temos “carros alegóricos” e “alegorias” como vocabulário do desfile das escolas de samba.

Outra semelhança é a embriaguez como etapa importante na libertação das amarras da realidade: nos rituais em honra a Dioniso, deus grego do vinho e do teatro, a embriaguez era peça fundamental. No carnaval carioca, após a passagem de um bloco de rua mediano, desafio alguém a andar duas quadras sem sentir cheiro de cerveja ou os pés grudados no chão.

Carnaval e teatro também se assemelham na forma como se desenvolveram entre o ritual religioso e a expressão artística. O carnaval, como sabemos, é parte integrante da Quaresma cristã. O teatro grego tinha na mitologia sua maior fonte de inspiração, funcionando também como seu divulgador e instaurando um ato cívico, fosse para a reflexão religiosa, fosse para presenciar as hilárias sátiras sociais das comédias de Aristófanes.

A comédia é, inclusive, outra digital carioca que se utiliza, historicamente, do procedimento de inversão de papeis.

Um abraço e até domingo que vem!
Dúvidas, críticas ou sugestões, envie para pericles.vanzella@rioencena.com.br.

PUBLICIDADE