Bibi Ferreira anuncia aposentadoria dos palcos, aos 96 anos

Do Rio Encena

Bibi estreouno teatro nos anos 1920, com apenas 24 dias de vida Foto: Willian Aguiar/Divulgação

Um dos maiores nomes da história do teatro brasileiro anunciou nesta segunda-feira (10) sua retirada dos palcos. Aos 96 anos, Bibi Ferreira comunicou, através de nota no Facebook, que está encerrando sua exitosa carreira de 77 anos. Depois de ter sido internada três vezes somente neste ano – a última foi em junho passado com um quadro de desidratação – a atriz e cantora disse no comunicado que “entender a vida é ser inteligente”. Mas apesar do problema recente de saúde, a motivo da decisão seria mesmo a idade avançada.

Embora o comunicado fale em recomendação médica para “uma vida o mais tranquila possível”, Nilson Raman, empresário e produtor de Bibi há quase três décadas, disse ao site UOL que a artista está com a saúde boa e se encontra em casa com a família no Rio de Janeiro. Ainda de acordo com Nilson, ela apenas chegou à conclusão que, aos 96 anos, não tem mais o mesmo vigor de outros tempos para viagens, ensaios, apresentações, entrevistas e afins.

Nascida Abigail Izquierdo Ferreira em 1º de junho de 1922, Bibi era filha do ator Procópio Ferreira e da bailarina argentina Aída Izquierdo. Subiu a palco ainda nos anos 1922, com apenas 24 dias de vida, para “substituir” uma boneca que tinha sumido pouco antes do início do espetáculo “Manhãs de Sol”, de Oduvaldo Vianna. Já a estreia profissional ocorreu em 1941, quando interpretou Mirandolina na peça “La Locandiera”.

Depois disto, não parou mais. Nas décadas seguintes, dirigiu e atuou em incontáveis montagens no eixo Rio-São Paulo, como “Brasileiro, Profissão: Esperança”, “My Fair Lady” e “O Homem de la Mancha”, ganhando prêmios como o Mambembe e Moliére, e trabalhando com outros grandes nomes como Paulo Autran, Marília Pêra, Marco Nanini e Fernanda Montenegro, entre muitos outros.

Nos anos 1970 e 1980, já com experiência em TV e cinema, dirigiu shows de cantoras como Clara Nunes e Maria Bethânia. Este já parecia ser um sinal dos rumos que a carreira de Bibi viria a tomar, inclinando-se muito para a parte musical. Mais recentemente, vinha se apresentando com shows dedicados a obras de artistas a quem admirava. Entre eles, o americano Frank Sinatra, a francesa Edith Piaf e a portuguesa Amália Rodrigues.

Recentemente, Bibi vinha se dedicando a shows com repertórios de artistas a quem ela admirava Foto: Divulgação

Pouco antes de anunciar sua aposentadoria, Bibi vinha ensaiando um novo show apenas com canções de Dorival Caymmi. O repertório já estava praticamente definido, e os músicos já estavam ensaiando, quando a veterana artista decidiu cancelar o projeto.

No entanto, já estava agendado para novembro o lançamento pela gravadora Biscoito Fino do show “Bibi Canta Sinatra”, que a levou a se apresentar em Nova York pela primeira vez aos 90 anos. Já em março do ano que vem será a vez do CD e DVD “Por Toda a Minha Vida”, seu último show.

Leia o comunicado na íntegra:

UM NOVO MOMENTO NA VIDA DA BIBI

Amigos, venho conversar com vocês sobre o novo momento de vida que Bibi se encontra e como são seus dias hoje.
Bibi está bem, em casa, mas decidiu que não terá mais possibilidade de se apresentar, como sempre gostou de fazer e manter em sua vida profissional.

Por recomendação médica, na idade em que está, Bibi deve ter uma vida o mais tranquila possível, e com uma rotina em seus horários de dormir e de se alimentar.

Bibi não tem doença alguma, sua idade é que está muito avançada. Mas sempre uma mulher muito forte. Até dezembro do ano passado ela ainda estava no palco, estreando novo espetáculo. Com três internações que teve esse ano, sempre em função de infecções oportunistas e exames, entendemos que ela já não teria mais a energia necessária para se apresentar no palco.

Por sua decisão e vontade, prefere ter uma vida mais reclusa, com a família e seus amigos mais íntimos, não estando mais disponível para entrevistas, mesmo por email, como vínhamos fazendo recentemente.

Bibi tem total consciência que sempre que esteve no palco deu o melhor de si, com o maior respeito e consideração ao público. E tem consciência que já deu o que tinha de melhor. Agora vai descansar, dentro dos limites e condições que a idade lhe permite.

Sempre que estamos juntos ela quer saber se ainda perguntam por ela. Eu digo que sempre, e muito. Algumas vezes leio mensagens do Facebook e ela fica muito feliz e muitas vezes da boas gargalhadas com o que ouve.

Ela me pediu que destacasse o amor que sempre teve pela sua carreira e pelo público. Tudo que fez, esse tempo todo, foi com muito amor, perseverança e determinação. Pediu que falasse do amor que tem pela família e pelos amigos.
Aos seus companheiros de palco, de tantos e tantos anos, um agradecimento profundo por tudo que viveram e fizeram.

Suas palavras: “Nunca pensei em parar, essa palavra nunca fez parte do meu vocabulário, mas entender a vida é ser inteligente. Fui muito feliz com minha carreira. Me orgulho muito de tudo que fiz. Obrigada a todos que de alguma forma estiveram comigo, a todos que me assistiram, a todos que me acompanharam por anos e anos. Muito obrigada! Bibi”

 

 

 

PUBLICIDADE