Baseada em fatos reais e com Dan Stulbach, ‘Morte Acidental de um Anarquista’ estreia no Oi Casa Grande

Do Rio Encena

Dan Stulbach (E) é o protagonista da montagem Foto: João Caldas/Divulgação

Por mais inusitada que possa parecer, a história do suicídio de um anarquista em Milão, na Itália, em 1969, é real. E mais: virou peça de teatro, no caso, “Morte Acidental de um Anarquista”, que faz curtíssima temporada, no Teatro Oi Casa Grande, a partir dessa sexta-feira (12/05), às 21h. Com texto escrito em 1970 pelo italiano Dario Fo (1926-2016) e direção de Hugo Coelho, a comédia, que fica em cartaz apenas até o próximo dia 28, é protagonizada por Dan Stulbach.

No palco, ele interpreta um louco, detido por adotar identidades de pessoas reais. Na delegacia, o preso se passa por um “juiz no auge da carreira” e entra em contato com os responsáveis pela investigação da misteriosa morte do anarquista que, segundo crê a polícia, teria cometido suicídio. Já imprensa e população acreditam em assassinato. E apesar de tantos olhares voltados para o caso, o insano homem consegue assumir diversas identidades, misturando fantasia com realidade e desmontando o poder.

– É impressionante como “Morte” ainda é atual, mais de 45 anos depois. É como se ele estivesse falando dos dias hoje, principalmente no Brasil. Em chave de farsa, Dario nos brinda com um texto brilhante – comenta Hugo, enaltecendo o autor ganhador do Prêmio Nobel de Literatura de 1997.

Dan Stulbach e Henrique Stroeter, que também está no elenco, escolheram este texto pois se sentiram motivados pela “diversão total e pela inteligência do Dario”. Além disso, Henrique recorda que foi montagem de “Morte Acidental” que tinha Antônio Fagundes em 1985, que o fez querer ser ator.