‘Awkwa’, drama sobre migração, faz únicas apresentações no Humaitá e em Niterói

Do Rio Encena

A peça mistura performance, teatro físico e dança Foto: Roberto Valente/Divulgação

Questão muito em voga atualmente, a migração é o tema central de “Awkwa”, drama que realiza únicas apresentações em dois teatros diferentes nos próximos dias. A primeira parada é no Espaço Cultural Municipal Sérgio Porto, no Humaitá, entre 17 e 26 deste mês, sábados e segundas às 21h e domingos, às 20h. Em seguida, as sessões acontecem no Teatro da UFF, em Niterói, na terça, dia 27, e quarta, 28, às 20h. Os ingressos custam a partir de R$ 20 (meia).

A peça que mergulha na experiência de ser estrangeiro, migrante é fruto exatamente do encontro de dois artistas que deixaram o Brasil para trabalhar lá fora. Dado Amaral é ator e cineasta e mora em Paris, na França. Já a atriz circense Marta Chaves vive em Sollebrunn, na Suécia, onde fica a sede de sua companhia, o Teatro Baó. Ela, inclusive, retorna depois de 21 anos na Europa, para onde foi na época em que integrava o Cirque du Soleil.

A união entre os dois artistas de formações distintas resultou numa montagem que mistura diferentes linguagens. No palco, acompanhados do músico Alexandre Brasil, contrabaixista da Orquestra Sinfônica Brasileira, Dado e Marta apresentam números de performance, teatro físico e dança.

— Vejo o espetáculo como um processo contínuo, no qual a cada apresentação vemos um instantâneo, um retrato do estado atual do trabalho. É um espetáculo em constante transformação. Há elementos que permanecem desde o início, como as canções “Jesuíno” e “Ser estranho”, e as coreografias aéreas de Marta, que, no entanto, foram mudando no decorrer do processo. Por isso, penso no espetáculo como uma espécie de jogo de armar, do qual tiramos e colocamos ‘peças’: canções, números aéreos, coreografias, textos — acrescenta Dado.

PUBLICIDADE