Apresentação de espetáculo com ‘Cristo transexual’ em arena de Madureira não vai acontecer

Do Rio Encena - Atualizado às 17h45

“O Evangelho Segundo Jesus, rainha do Céu” seria uma das atrações da mostra Foto: Reprodução/Facebook

A Mostra Corpos Visíveis, programada para ocupar a Arena Carioca Fernando Torres, no Parque Madureira, de sexta-feira (08) a domingo (10), não vai mais acontecer. A prefeitura alega que, na verdade, a programação nem sequer foi cogitada porque o equipamento estaria fechado há cerca de um mês por problemas no processo de licitação. Mas, segundo a organização do evento, houve, sim, o cancelamento, e a razão seria o espetáculo “O Evangelho Segundo Jesus, Rainha do Céu”, que tem Jesus Cristo representado pela atriz Renata Carvalho, que é travesti.

Em sua página no Facebook, no último dia 31, o prefeito Marcelo Crivella se manifestou sobre o assunto. Num vídeo, ele começa chamando de fake news a notícia dada pelo jornalista Ancelmo Gois, em sua coluna no site do jornal O Globo, de que a peça seria apresentada no sábado (09). Em seguida – o quê fez a equipe da Corpos Visíveis falar em censura – Crivella afirma que em sua administração “nenhum espetáculo, nenhuma exposição vai ofender a religião das pessoas” e que “enquanto for prefeito, vamos respeitar a consciência, a religião das pessoas”.

A Corpos Visíveis garante que tem emails comprovando as negociações com a Secretaria Municipal de Cultura para a realização da mostra na arena. Estas conversas estariam ocorrendo desde o fim de 2017, o quê contraria a justificativa dos problemas na licitação do espaço.

Através de um comunicado em sua página no Facebook, os organizadores afirmam que já receberam  da subsecretária de cultura, Rachel Valença, a confirmação “de que tanto a peça quanto toda a programação que aconteceria na Arena supracitada estaria cancelada”. Falando em “censura à visibilização e livre expressão artística dos corpos LGBTQI+, femininos, negros e periféricos“, eles reforçam a importância do evento para a discussão de temas como LGBTfobia e machismo. Em resposta, o grupo promoveu um protesto no início desta terça (05) na Praça do Leão Etíope, no Méier.

O RIO ENCENA entrou em contato com a SMC, que, através de nota emitida pela assessoria de imprensa, confirmou a versão de que a toda a programação da arena – e não apenas a Corpos Visíveis – está suspensa há aproximadamente um mês por ordem judicial, devido a imbróglios no processo de licitação. Confira a nota na íntegra no fim da página.

Esta, aliás, não é a primeira polêmica sobre supostas censuras na gestão de Marcelo Crivella. No ano passado, a programação da ocupação “Outubro da Diversidade” sofreu modificações no Castelinho do Flamengo, inclusive com um dos espetáculos precisando ser transferido para outro palco. A justificativa da prefeitura foi uma pane elétrica no local.

Nota da Secretaria Municipal de Cultura:

NOTA SMC – ARENA CARIOCA FERNANDO TORRES – MOSTRA CORPOS VISÍVEIS

Não houve cancelamento da mostra Corpos Visíveis por parte da Secretaria Municipal de Cultura do Rio/Prefeitura do Rio. Por força do (Mandado de Segurança) Processo nº 0092486-69.2018.8.19.0001, o espaço está com todas as atividades suspensas há cerca de um mês.

O mandado foi impetrado pela antigo gestor da Arena Carioca Fernando Torres – a Associação Cultural Amigos do Agito, que perdeu a licitação – contra o vencedor da licitação – AGUAS ( Associação para Gestão de Unidades Administrativas Sociais ) para gerir a arena. A decisão é do juiz Marcelo Martins Evaristo da Silva.

Por causa desta decisão judicial, toda a programação na Arena Carioca Fernando Torres, em Madureira, está suspensa e não apenas a Mostra Corpos Visíveis.

PUBLICIDADE